BBF Curioso: Proclamação da República

O que você sabe sobre o evento que mudou o sistema de governo no Brasil?


Você lê aqui conteúdo exclusivo BBF Brasil. Plágio é crime!


Por que instaurar a República era inevitável?

Em 1870, o Brasil vencia a famigerada Guerra do Paraguai, graças aos militares e voluntários da Pátria porque se dependesse da boa vontade da monarquia, Mato Grosso estaria sob o comando do governo paraguaio. Anos depois, em 1888, a princesa Isabel assinava a Lei Áurea que – finalmente – libertou cerca de 700 mil escravos por todo país. A monarquia estava falida e mal falada pelo povo brasileiro e por governos estrangeiros. Dom Pedro II com saúde debilitada e ninguém à sua altura para substituí-lo. Mesmo com o regime despencando, a necessidade de fingir que está tudo sob controle era factual, e no dia 9 de novembro de 1889, a família real realizou um baile na Ilha Fiscal, em homenagem aos oficiais no navio de guerra Almirante Cockrane. A necessidade de se instaurar um novo sistema de governo era inevitável e assim, no dia 15 de novembro de 1889, o centro do Rio de Janeiro (atual Praça da República) testemunhou algo jamais visto: marechal Manuel Deodoro da Fonseca (um dos comandantes da Guerra do Paraguai), mesmo gravemente enfermo saiu de casa acompanhado por grande contingente de militares e aclamou o que foi considerada a primeira República.

Aclamada ou Proclamada: eis a questão!

Segundo alguns historiadores, a situação da monarquia no Brasil era tão ruim que nem precisou de uma ação mais enérgica por parte dos militares. Dom Pedro II duvidava o tempo todo de que alguns representantes do exército iriam incitar alguma rebelião contra a monarquia. No início da tarde do dia 15 de novembro, o monarca estava reunido com o comandante do vaso de guerra chileno, o capitão de mar-e-guerra don Constantino Bannen, disse com desdém: “Fogo de palha, comandante, como o senhor verá. Conheço de sobra, a minha gente… Fogo de palha!”.

Marechal Deodoro da Fonseca aclamando a República. Quadro de Henrique Bernadelli.

Dom Pedro amargou a maior derrota da sua vida e nem lutou por isso! Apenas aceitou o feito sem resistência bélica ou armamentista. Seu marechal-de-campo, Floriano Peixoto, não juntou tropas para revidar. A omissão lhe rendeu a continuidade no cargo na recém-nascida República, logo depois se tornou ministro da Guerra em substituição a Benjamin Constant, vice-presidente da República, e com a renúncia de marechal Deodoro da Fonseca em 1891. Portanto não houve a necessidade de uma proclamação.

De acordo com excelente matéria publicada no site da Assembleia Legislativa de São Paulo, escrita por Antônio Sérgio Ribeiro (link no Saiba mais), a República foi oficialmente proclamada por José do Patrocínio, durante a reunião do Conselho Municipal do Rio de Janeiro, “e, em nome do povo, declarou extinta a monarquia. O povo foi colocado à margem dos acontecimentos, e só tomou conhecimento dos fatos após estarem consumados. Não houve nenhum momento um ato heroico, como ocorreu no dia 7 de setembro. Só depois veio o decreto de número 1, assinado na cama por Deodoro da Fonseca, que se encontrava prostrado devido a doença, nele em seu artigo 1º, está explicitado que ficava proclamada provisoriamente a República no Brasil. A decisão da mudança de regime partiu exclusivamente de Benjamin Constant que pressionou o velho marechal para fazê-lo”.

Atenção:

É importante ressaltar essa afirmação de que o marechal Deodoro não proclamou a República não é consenso entre os historiadores.

E a monarquia?

Triste fim…

Após a proclamação da República, o que a monarquia poderia fazer? Aceitou a derrota e a expulsão do país. A bordo do navio Alagoas, a família imperial aportou em terras portuguesas em 07 de dezembro de 1889. retornou Dois anos depois, Dom Pedro II morria em Paris, aos 66 anos, vitimado por uma pneumonia aguda no pulmão esquerdo.

Saiba mais

15 de novembro de 1889 – A Proclamação da República no Brasil

(Assembleia Legislativa de São Paulo)

Imagem de capa: reprodução do quadro ‘A Pátria’, de Pedro Bruno (acervo do Museu da República).

As imagens desta matéria são reproduções que fazem parte do link acima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s